Ventos uivantes

Oi pessoal,

Esfriou de repente em São Paulo e me vi morando no apartamento dos ventos uivantes! E olha que moro em andar baixo, lá mais pra cima deve estar pior.

Eu posso ser uma maluca mas acho esse som de vento meio assustador e também melancólico. Deve ser por causa do livro do morro dos ventos uivantes da Emily Brontë. Li quando era assídua frequentadora de uma biblioteca municipal, ainda muito menina. Lembro-me de ter ficado apavorada com a história e por um tempo quando ouvia algo bater na minha janela já pensava que era um espírito querendo entrar.

Piorou quando descobri a música da Kate Bush chamada Wuthering Heights. No refrão ela fala assim:

Heathcliff, it’s me–Cathy.
I’ve come home. I’m so cold!
Let me in your window.

[Heathcliff, sou eu–Cathy. Vim pra casa. Estou com tanto frio! Deixe-me entrar pela sua janela!]

Pronto! Passei a ouvir o vento, batidas na janela e a vozinha aguda da Kate Bush dizendo LET ME IN YOUR WINDOOOOOOOOW !

O tempo passou, eu cresci e já não perco mais o sono por causa dos barulhos na janela. Mas eu coloquei o morro dos ventos uivantes novamente na minha lista de livros a serem lidos, já que fazem muitos anos e adoro reler as obras pra ver como me sinto agora a respeito delas. Vamos ver se eu perco o sono de novo!

Abração!

Anúncios

Cara lavada?

Oi amigos!

argh

Estou tao fissurada em maquiagem que já faz um tempo que não me vejo de cara lavada pronta pra sair… De tanto brincar de tirar e por maquiagem praticando os looks que aprendo por aí (principalmente no site da Julia Petit [atualização – agora estou fã da Alice Salazar]) meus  olhos estão ficando irritados. Decidi dar um descanso pra pelinha fininha ao redor dos olhos no fim-de-semana, já que eu iria pra praia mesmo.

Durante o dia usei somente protetor solar no rosto e nos lábios. Foi uma redescoberta! Minha pele com as manchinhas novas (souvenir da temporada em Barcelona), meus cílios mirrados de japonesa… Até que gostei sabe?

Claro que à noite, saindo pra jantar no Manacá (restaurante badalado de Camburi), não consegui sair sem a minha make. Comecei pensando em fazer apenas a pele. Pó e corretivo né gente? Blush também né? hummm… o curvex é de lei e nem agride a pele.  Mas curvex sem rímel ? Ah, rimel vai. Bom… agora tá faltando um delineadorzinho pôxa. Ah, mas esta seria uma ótima chance pra eu usar minha paleta nova de sombras (branco, cinzinha, grafite, preto) da Avon (sombras da Avon são uma ótima dica, fixam bem e o preço é camarada). Acabei fazendo a make toda, que ficou uma bagunça pois fui colocando as coisas numa ordem maluca, conforme meu cérebro prosseguia com a negociaçao interna. Mas fiquei admirada ao notar como a maquiagem é importante pra mim hoje em dia.

Conheço garotas que passam pó, corretivo, rímel e batom mesmo na academia. Rímel a prova d’água claro… senão escorre né!

Outro dia vi um programa na tv (acho que era o Bridezilla, aquele em que a noiva fica tão estressada que é comparada ao Godzilla). A moça ia fazer uma limpeza de pele e ficou incomodadíssima ao se dar conta de que a câmera a filmaria de cara lavada. Começou a tapar o rosto com as mãos, a esteticísta explicava que assim não dá pra trabalhar. Então a bridezilla levantou e começou a gritar com a camera. Uma das mãos tapava o rosto e a outra enxotava o câmera, que não arredou pé.  Chorando, a noiva cancelou a limpeza de pele e disse que só faria se as cameras não estivessem por lá.

Tadinha da moça! E o pior é que ela era linda, não acredito que sem maquiagem ela fosse uma baranga horrorosa. Ô dó… mas também não era pra tanto né gente? Ou será que é?

Vamos pensar… Nossa, ficar o tempo todo de maquiagem deve dar um trabalho desgraçado. Já pensou? O homem só teria autorizaçao pra ver o rosto da mulher depois da noite de núpcias.  Aula de nataçao – proibida.  Tomar chuva? Desastre total. Praia? Só se for pra ficar na areia.

Maquiagem é ótimo, a gente se sente muito poderosa etc etc etc. Sem falar que preparar os looks é extremamente divertido! Mas nada de surtar e deixar a maquiagem alterar sua autoimagem! Somos lindas assim ao natural! Usamos as makes apenas para valorizar nossos traços e não para nos salvar da baranguice!!  E se um dia acontecer uma catástrofe e acabarem todas as maquiagens do mundo (calma calma, isto não aconteceu, estou apenas tentando seguir um raciocínio!), vamos mesmo assim sair na rua felizes e confiantes pois nossa beleza é mais profunda e verdadeira.

Agora deixe-me ir retocar a maquiagem. 😀

Beijo!

[OBS: Post publicado originalmente em 2010 no meu antigo blog]

Abra o olho!

Oi amigos!

Quando eu era criança não entendia muito bem porque as outras crianças me apontavam o dedo e me chamavam de japonesa, japoronga, japoneusa, sei lá mais o que… Ficava até brava com a minha mãe pois achava que ela que havia contado pras pessoas – afinal como elas poderiam saber que eu era japonesa?

Mais pra frente as crianças começaram a me mandar abrir o olho. Como assim, abrir o olho?? Mas meus olhos estavam abertos !! Também diziam que meus olhos eram rasgados. Não, não, estavam muito bem de saúde obrigada! Parece bobagem, mas demorei a entender que meus olhos eram diferentes dos das outras crianças e eram eles que me entregavam pra molecada – não tinha como negar a minha ascendência oriental – estava bem na minha cara.

tao1 Provavelmente não demorou tanto tempo assim mas aos 5 anos a vida parecia demorar uma eternidade pra passar!

Claro que isto foi meu contato inicial com as diferenças – hoje curto muito ser brasileira/japonesa e adoro meus olhos! Fico muito feliz que a beleza oriental está cada vez mais em voga com as musas Lucy Liu, Devon Aoki, Sabrina Sato, Daniele Suzuki entre outras. Gosto muito da Tao Okamoto, modelo fashion famosa internacionalmente. [atualização – essa Tao Okamoto é a Mariko do filme do Wolverine].

Lembrei de tudo isto ao ver o post de 13 de outubro da minha ídola Julia Petit:

Eu PIREI neste post sobre maquiagem para olhos orientais! Realmente, nossa maquiagem tem de ser um pouco diferente por causa da tal dobrinha. Eu até que tenho uma dobrinha mas na verdade, a sombra não aparece nas fotos pois minha pálpebra móvel é bem pequena.

A maioria dos orientais sabe do que estou falando, mas pra quem nao sabe aqui vai uma explicaçao:

Normalmente os orientais nao tem a tal da dobrinha, o que faz com que a pálpebra móvel simplesmente desapareça. Não tem lugar pra passar sombra!! Já vi senhoras que usavam delineador pra desenhar um risco que faria as vezes de dobrinha – abaixo da linha passavam sombra. O resultado ficava bem estranho, mas acreditem, isto era mais comum do que se imagina.

dobrinhas

A questao da dobrinha é tão séria pros orientais que existe até uma operação bastante popular no Japão pra fazer uma dobrinha!A moça da foto ao lado fez a operaçao – vejam como ficou.

Mas com dobrinha ou sem, os olhos orientais tem pouco espaço pra sombra – daí a dificuldade de fazer looks mais bacanas pra noite.

Vejam o vídeo no site da Julia Petit, a maquiadora Aline Naomi Miyazato mostra truques de maquiagem pra nós orientais arrasarmos num evento à noite.

AMEI as dicas e já estou aqui em casa na frente do espelho brincando de boneca comigo mesma! A Aline ensina EXATAMENTE o que eu queria saber – como fazer a maquiagem realmente aparecer sem ficar exagerada. As dicas servem pra olhos orientais com ou sem dobrinhas tá ?

[Atualização – a Alice Salazar fez uma maquiagem ainda mais legal. Vejam o antes e depois, é de babar!!]

É isso aí meninas! Mãos à obra!

Grande abraço!

Obs: este post foi originalmente publicado no meu antigo blog em 10/2010.