O sofrimento da bexiga cheia

Oi pessoal,

Outro dia fui ao laboratório fazer exames de rotina. Um deles era o Ultrassom abdominal – ODEIO esse exame, acho um saco, vivo pedindo pra minha médica não incluir mas ela diz que precisa. O ódio não é por causa do jejum não – é por causa da bexiga cheia.

Toda vez é a mesma coisa – a recomendação é tomar de 4 a 6 copos uma hora antes do exame mas 15 minutos depois de mandar a água pra dentro já começo a ficar apertada. Esperar uma hora nesse estado já é um suplício mas normalmente a demora é bem maior porque tem fila, tem demora, tem imprevistos, etc etc etc. Aí quando eu consigo aguentar o sofrimento (não é sempre), ainda tem o exame! Eu já quase mijando na maca e o medico (ou médica) lá, passando o aparelhinho na minha barriga, aperta pra cá, vira pra lá AAAAAAAAAAAAARGH !!!!! Quando termina o exame eu saio correndo derrubando tudo que estiver na minha frente rezando pra não mijar no chão a caminho do banheiro. Já nem pedindo mais pra chegar na privada, se mijar DENTRO do banheiro com a porta fechada já tá valendo. Aí é só sair correndo e boa, você só vai ver essas pessoas de novo ano que vem certo???? Desculpem o pessoal do laboratório mas nessa hora o sofrimento já é grande e a pessoa aqui nem tá pensando direito mais.

banheiro-1

Então este ano eu decidi manter minha dignidade e tomei apenas 2 copos uma hora antes do exame. Com essa quantidade de líquido já me dá vontade de mijar mas nada desesperador. Pensei, BELEZA sem sofrimento desta vez!! Tomei mais 2 copos assim que me sentei na sala de espera mas pro meu azar desta vez já me chamaram imediatamente. Resultado, a bexiga não estava cheia o suficiente. Fui ao banheiro (já tava apertada nessa hora) e tive de começar tudo de novo. Ô SACO!! A nova tática falhou.

Bem, vou lá eu novamente tomar água. Tomei um montão de água, uns 5 copos. Pensei, espero meia hora, metade do tempo indicado e já peço pra ser atendida. Azar de novo – como é época de férias só tinha uma médica trabalhando no setor de ultrassom e a espera naquelas alturas ja estava por volta de uma hora e meia. Detalhe: todos tinham horário marcado e provavelmente esperaram mais de um mês pra conseguir agendar mas OK, pelo menos não é no SUS.

Implorei pra ser atendida logo porque estava naquela situação de bexiga prestes a encher loucamente. A moça anotou meu nome e disse que avisaria a médica assim que possível. Fiquei preocupada, sabe-se lá quando esse “assim que possível” ia ser. Decidi que se não estivesse aguentando ia ao banheiro e dane-se, faria o exame outro dia, sei lá eu. Depois de 30 minutos já estava bem apertada. Mais 15 minutos e nada de a moça voltar. Fui ao banheiro me aliviar. Tomei mais 4 copos de uma só vez e me sentei novamente. Não passaram nem 5 minutos e a moça me chamou. SACANAGEM JUSTO AGORA?????

Avisei o que aconteceu, a moça foi super legal comigo e decidiu deixar a médica verificar se rolava de fazer o exame mesmo assim. UFA deu certo, a bexiga estava pouco cheia mas deu. Muito feliz da vida, fui pra casa a pé e no meio do caminho comecei a ficar apertada de novo. Claro, os 4 copos de última hora estavam querendo sair. Apertei o passo, mais um pouco, mais um pouco… tentei correr mas aí foi pior, gravidade né? “sacumé”. AH GRAÇAS A DEUS deu tempo ! UFA QUE ALÍVIO. Ah nunca amei tanto meu bom e velho banheirinho…

Enfim, já mencionei que odeio ultrassom abdominal? Vamos ver se ano que vem eu acerto o cálculo de quanta água tomar e quanto tempo antes pra sofrer menos..

Abraço!!

Anúncios

7 comentários sobre “O sofrimento da bexiga cheia

  1. Me identifiquei com você. Também tenho o mesmo problema, sofro de vários cálculos renais e todos os meses tinha que fazer ultrasom das vias urinárias. Mas devido ao meu porte físico ser reduzido (23 anos e 1,43m) três ou quatro copos de água já dava conta. Mas também ficava super apertado para ir ao banheiro. Ainda mais com a pressão que ficava dentro dos meus rins, ai o sofrimento era maior. Sempre era o quarto ou sexta na fila, mas as atendentes sempre eram legais comigo me falavam caso eu ficasse muito apertado falasse para elas, e elas avisavam a médica, resultado, acabava sendo o segundo ou terceiro da vez. Às vezes cheguei a urinar antes do exame para aliviar mais, o que não causou problema nenhum, e também tomava mais um pouco de água para compensar. Sempre negociava com a médica para começar pela a bexiga, então ela fazia e me liberava para urinar e depois continuava o exame. Mas realmente é angustiante, principalmente quando chega alguma prioridade na sua frente.

  2. Ano passado aconteceu comigo. Fui fazer uma de rins, bexiga e vias urinarias. Tambem precisava de bexiga cheia. Só que me disseram pra tomar tres copos da agua antes de sair de casa. Cheguei no laboratório ja trançando as pernas. A recepcionista disse que ia demorar um pouco. Tive que ir no banheiro e depois beber 4 copos dagua. E toma de esperar e nada de me chamar. Estava ficando aflita. Perguntei à médica quando chamaram uma paciente se faltava muito. Já estava muito apertada. Ela disse pra aguentar firme pois ia me chamar logo depois. Mas demorou uma vida esse ultimo atendimento. Eu já estava suando com o esforço impiedoso de segurar o xixi com minha bexiga estourando de cheia. E olha que o ar condicionado estava bombando. Gente, já não me importava com ninguem a minha volta. Cemecei a me contorcer, coloquei minhas mãos no meio das pernas e balançava de um lado pro outro. Estava quase fazendo xixi na calça. Quando estava prestes a desistir, perto de me molhar, a médica me chamou. Fui andando torta pra sala do exame. Me prepararam e nada do exame começar. Chamei a médica com voz alta e ela veio me desculpando. -Doutora começa logo que eu estou nas últimas. E mexe daqui, mexe dali. Quando chegou na bexiga ela disse: -Nossa! Coitada. Que bexiga cheia! Realmente deve estar sofrendo muito. Aí, ela apertou o aparelhinho mais ainda pra verificar bem a bexiga. Foi demais pra mim. Soltei um grito e junto com ele um jorro enorme de xixi nas calças. A médica disse: -Me deculpe! Já acabei. Pode ir se aliviar e depois volta aqui pra conversarmos. Fui cambaleando pro banheiro com a calça toda mijada na altura do bumbum. No banheiro suspirei de alívio. Morta de vergonha, voltei à sala do exame e a médica muito solidária me ofereceu ficar numa salinha de roupão até que minha calça secasse. Colocaram de frente pra um ventilador. Pelo menos minimizou o dano e não precisei sair na rua toda mijada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s